sexta-feira, 14 de novembro de 2014

PLENO DO TRT 18 CONFIRMA A CONSTITUCIONALIDADE DA LEI DE NOSSA ANISTIA


Neste histórico dia 13/11/2014 a Justiça prevaleu a perseguição, a destruição encomendada, enfim venceu o bem e se confirmou o milagre que Deus fez em nossas vidas. Este milagre chamado Anistia é intocável porque ele foi concedido por Deus e ditador nenhum conseguirá destruí-lo.
O Desembargador Paulo Pimenta, na condição de relator do processo, uma vez mais, em suas colocações um tanto quanto efusivamente contrárias, nos remeteu a época em que fomos despejados de nossos trabalhos sem qualquer cuidado, sem qualquer efusiva defesa de nossos direitos. Confesso que por de traz de minha máquina fotográfica, as lágrimas rolaram também sem qualquer piedade. Chorei pela a frieza das palavras deste homem que cortava na carne de todos os anistiados ali presente, sem se importar com a história que cada um carrega consigo. Mas chorei também de emoção quando o Desembargador Elvecio Moura lembrou a perseguição sofrida pelo o Dr. Henrique Santillo, então Governador do Estado de Goiás, imposta pelo o Banco Central à CAIXEGO, através da "inanição financeira". E ao final da sessão de julgamento quando os desembargadores Elvecio Moura, Gentil Pio e a presidente do TRT, Elza Silveira, votaram pela constitucionalidade das normas questionadas, as lágrimas foram coletivas e a emoção que reinou naquela plenário se transformaram em oração de agradecimento a Deus por confirmar uma vez mais que Ele estava ali, no meio de nós, e que a nossa ANISTIA é intocável porque ela foi a promessa Dele para nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário