Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

CONVOCAÇÃO GERAL

COMUNICAMOS A TODOS OS AMIGOS ASSOCIADOS que a nossa reunião mensal foi confirmada para o dia 7.08.2009, às 18h30min e será realizada no Clube Cruzeiro do Sul, localizado à Rua 84-E, nº 165 - Setor Sul - no mesmo local da nossa última reunião (viela próxima ao Centro Administrativo).

Pauta da reunião: a) abertura - oração; b) relato das atividades, ações e gestões dos útimos 30 dias; c) informações sobre a reunião e a entrega de documento de nossa Anistia realizada com o Secretário da Fazenda, Sr. Jorcelino Braga; d) preparação das ações por ocasião da visita do Presidente "Lula", no dia 11.08.2009, a nossa capital; e) Jantar (arroz com galinha) e sorteio de um prêmio, através de um bingo. A cartela será vendida pelo valor simbólico de R$ 1,00 (um real) para cobrir os gastos com cozinheira.

O jantar será servido às 20:15h, com a finalidade de evitar atrasos e aborrecimentos aos companheiros do interior e aos companheiros residentes em bairros distantes…

Uma decisão política em simetria com a União

A vigência do estado democrático de direito é uma realidade, possa se situar em todas as frentes de luta pelos Direitos Humanos na busca pela justiça social em relação aos menos favorecidos que, por sua condição, não têm recursos para mover a ordem jurídica a favor de seus interesses na conquista de seus direitos.

Destacamos a importância da negociação no curso da construção efetiva da democracia num momento histórico de uma nação e, até mesmo, de um Estado federado, principalmente na correção de injustiças praticadas contra toda uma comunidade ou um segmento social.
A ampla maioria das forças vivas da sociedade goiana, sindicatos patronais e de trabalhadores, organizações da sociedade civil, igrejas, assim como a grande maioria do Legislativo e autoridades do Executivo goiano têm se manifestado favoravelmente à anistia dos ex-servidores da Caixego, como o fez a União em relação aos seus ex-servidores e/ou empregados públicos demitidos em consequência do governo Collor.
Vejamos o parece…

Humanismo e administração pública (2)

Como afirmei anteriormente, o homem é o valor mais importante de uma sociedade e precisamos exaltar a dignidade humana, voltando a considerar prioritariamente o indivíduo e suas necessidades, recolocando-o como ponto central das estratégias, políticas e ações públicas.
No Brasil, pesquisas verificaram que dirigentes de empresas têm sua formação superior baseada em conteúdos curriculares de alta especialização, focados em disciplinas eminentemente técnicas e profissionalizantes, visando atender ao mercado e deixando de lado o desenvolvimento total do indivíduo. Esta é uma realidade também presente na área pública, no entanto, nesse mister, o humanismo torna-se fundamental na abordagem pelo gestor público dos assuntos de cunho predominantemente social com que se defronta.
Ao administrador público, não basta somente a formação técnica. Sua atitude diante das questões que lhe são apresentadas cotidianamente depende da sua educação como pessoa, para que possa melhor entender seus semelhantes…

Humanismo e administração pública

O Humanismo é uma corrente filosófica que afirma que o homem é o valor mais importante de uma sociedade e que todos os seres humanos são iguais, inclusive em seus direitos de compartilhar idéias e crenças diferentes. As primeiras referências a filosofias semelhantes a esta abordagem foram verificadas em escritos de filósofos da Grécia Antiga.
Sua postulação básica é, sem dúvida, a exaltação da dignidade humana, sendo que somente depois de superada a irracionalidade dos excessos religiosos medievais, em que não eram considerados o indivíduo e suas necessidades, o florescimento do pensamento e das artes da Renascença colocou ênfase na importância da recolocação do homem como ponto central da civilização.
O Humanismo, em sua condição de sintonia com o pensamento social esclarecido de nossos dias, deve estar compromissado com as liberdades civis, os direitos humanos e a democracia participativa, não só no local de trabalho e na escola, mas, principalmente, no governo através de uma abordage…

MAIS UM PASSO RUMO AO RESGATE DA CIDADANIA DA FAMILIA CAIXEGO

Meus caros amigos e companheiros de luta:

Hoje indicutivelmente, a nossa Associação, ARC, é uma entidade sólida e respeitada na sociedade, principalmente por defender os nossos direitos de cidadania e de resgate de uma vida toda que nos foi roubada, na calada da noite,na era Collor de Mello"...,alíado aos acordos políticos do ódio da política (políticagem) regional ".
Mas sem dúvida nenhuma também, se tornou um ícone de apoio às causas humanitárias e constantemente, nosso dirigente, Antonio Alencar Filho, é convidado à apoiar,à ajudar, representações de nossa sociedade, que também reivindicam respeito de alguma forma.
Essa evolução gradativa que a ARC vem conquistando dia a dia, com o trabalho sério e concentrado dos seus representantes, Alencar e toda a Diretoria, desencadeia a respeitabilidade que o movimento merece e com isto, abre portas junto ao Governo Federal e Estadual.

Nesta última terça-feira, o Secretário da Fazenda, Sr. Jorcelino Braga, recebeu a nossa Associação, A…

A IMPORTÂNCIA DA NEGOCIAÇÃO DA DEMOCRACIA III

O desempenho da democracia depende tanto de um desenho institucional adequado quanto de uma cultura política como valor agregado a uma Nação livre e justa. Com a expansão global da democracia no bojo da assim chamada “terceira onda”, essa questão passou a estar no centro do debate político e acadêmico contemporâneo.A crítica sociológica às abordagens sobre a transição das novas democracias aponta a ênfase excessiva conferida ao desenho institucional e às regras do jogo que balizam a interação estratégica entre elites políticas, em detrimento de concepções que privilegiam normas, valores e crenças compartilhadas na sociedade. Verifica-se uma gradual desvalorização de instrumentos de negociação democrática e de construção de consensos institucionais em face da diversidade de vozes e sentidos procedentes da heterogeneidade (política, cultural, social) dos agentes sociais (patrões e trabalhadores, governantes, cidadãos em geral), além da não priorização dos pactos sociais enquanto possibi…